vale a pena investir em ouro vale a pena investir em ouro

Vale a pena investir em ouro? Veja as vantagens e desvantagens!

6 minutos para ler

Será que vale a pena investir em ouro? Muitas pessoas que ingressam no mercado financeiro se deparam com a necessidade de diversificar os seus investimentos para ter mais rentabilidade e, principalmente, segurança.

O ouro é um ativo que pode ser utilizado para essa finalidade, porém, muitos ainda têm dúvidas sobre como ele pode ser adquirido. Pensando nisso, resolvemos preparar um conteúdo completo sobre o assunto.

Neste artigo, mostraremos as principais formas de investir em ouro, bem como as suas vantagens e as desvantagens. Continue a leitura!

Como investir em ouro?

Investir em ouro pode ser uma excelente alternativa para proteger o seu capital e obter rentabilidades diferenciadas em sua carteira de investimentos. Mas, se você desejar comprar esse ativo, é preciso ter um cofre para deixar dentro de casa?

Se você tem essa dúvida, não se desespere. De fato, existe a possibilidade de adquirir as barras de ouro. No entanto, também temos outras alternativas que mencionaremos nos próximos tópicos.

Aquisição de barras de ouro

Uma das formas de adquirir ouro é comprando barras de ouro. Isso é feito seguindo os seguintes procedimentos: é preciso abrir uma conta em uma corretora autorizada pelo Banco Central do Brasil (BCB) e pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) a vender barras de ouro no mercado brasileiro.

Assim, você pode adquirir as barras e armazená-las em um cofre ou, até mesmo, em uma empresa que possa cuidar desse ativo. Entretanto, isso gera um custo de aproximadamente 0,2% do valor da cotação do ouro.

Aquisição por meio da Bolsa de Valores

A outra alternativa para investir em ouro não envolve barras do metal precioso, armazenamento, segurança, entre outros pontos. O investimento nesse ativo por meio da B3 é feito com contratos financeiros.

Assim, esse tipo de negociação acontece por meio de uma corretora de valores que também deve ser credenciada pela CVM. O ativo, nesse caso, pertence ao mercado futuro de ouro. Assim, o investidor adquire um contrato com vencimento em data posterior e que está vinculado à cotação do ouro.

Fundo de investimento em ouro

Por fim, temos a possibilidade de investir em ouro por meio de um fundo de investimentos que aplica a maior parte do capital no metal precioso. Desse modo, é possível adquirir uma cota desse fundo especializado nesse mercado. Assim, você não precisa se preocupar em comprar as barras de ouro e armazenar esses elementos.

A ideia funciona de forma semelhante aos outros fundos de investimentos de renda fixa, ações ou multimercados. Ou seja, você adquire quotas do fundo e recebe a rentabilidade obtida pelos gestores, sempre de acordo com a sua participação no capital.

Uma vantagem interessante nesse tipo de investimento é encontrar algumas corretoras que atrelam a rentabilidade do fundo ao dólar, por exemplo. Assim, o capital pode ser protegido por eventuais oscilações no mercado de ouro.

Quais são as vantagens e desvantagens do investimento em ouro?

Entendidas as formas de adquirir esse ativo, mostraremos as suas vantagens e as desvantagens para saber se vale a pena investir em ouro. Veja a seguir!

Vantagens

Um dos benefícios desse tipo de aplicação é a segurança. Há quem diga que é um dos ativos mais seguros do mundo e esse título foi concedido ao ouro devido à sua baixíssima volatilidade. Afinal, é um metal muito cobiçado, portanto, é natural que as oscilações no preço sejam menores.

No entanto, é preciso ter cuidado na hora da aquisição para não comprar o ouro quando ele estiver em um valor elevado. Ou seja, o melhor momento para adquiri-lo é quando o preço sofre alguma correção. Além disso, o ouro passa por poucas oscilações em decisões proferidas por governos de outros países.

Por fim, a tendência é de que ele se mantenha estável ou, até mesmo, valorizado em épocas de crises econômicas.

Desvantagens

Quanto às desvantagens, temos a falta de liquidez. Ou seja, nem sempre é fácil encontrar ativos em determinadas faixas de preço. Outro ponto é o custo com a manutenção e com a segurança, especialmente para quem deseja adquirir as barras de ouro.

Também existe a questão de não haver a possibilidade de gerar renda passiva. Logo, é um investimento que tem por objetivo a proteção de capital e não o ganho de dinheiro no curto ou médio prazo.

Qual é a importância da diversificação de aplicações?

Uma das principais utilizações do investimento em ouro é a diversificação de aplicações. Com esse ativo, é possível ter uma excelente oportunidade para fazê-lo. Afinal, estamos tratando de um investimento seguro e rentável.

A diversificação é um dos conceitos difundidos por todos os profissionais sérios do mercado financeiro. Isso porque essa prática é capaz de proteger o seu patrimônio. Você já ouviu falar na frase: “não coloque todos os ovos em uma única cesta”? A razão disso é que, se ela “cair no chão”, todos os seus ovos serão perdidos.

Com o mercado financeiro, funciona de forma semelhante. Ou seja, se você colocar todo o seu patrimônio em um único ativo e ele perder o valor, é possível que o seu patrimônio seja perdido. Ao diversificar as aplicações, o cenário passa a ser totalmente diferente.

Se você tiver outros investimentos, como a aplicação em ouro, essas eventuais oscilações negativas podem ser supridas pelas valorizações de outros ativos. Além disso, a diversificação de investimentos também pode proporcionar rentabilidades diferenciadas para a sua carteira.

Isso significa que você pode, por exemplo, distribuir o seu patrimônio em renda fixa, garantindo segurança e previsibilidade na rentabilidade, e uma parcela menor pode ser aplicada em ativos de renda variável, para ter um retorno maior. Além disso, também pode aplicar outra parte do patrimônio em investimentos, como ouro, protegendo-o quanto a eventuais oscilações bruscas que podem acontecer em outros mercados, como o acionário.

Por fim, podemos concluir que, de fato, vale a pena investir em ouro. Porém, é necessário que essa aplicação seja feita obedecendo aos seus objetivos e, principalmente, ao seu perfil de investidor. Além disso, é fundamental contar com uma carteira diversificada, podendo incluir esse ativo como uma opção para fracionar os riscos que recaem sobre o seu capital.

Gostou dessas dicas? Então, assine a nossa newsletter para não perder nenhuma novidade do nosso blog!

Posts relacionados

Deixe um comentário