4 riscos de investir em ações e como evitá-los!

7 minutos para ler

Muitas pessoas se afastam da Bolsa de Valores por causa dos riscos de investir em ações. No entanto, ser um investimento arriscado não é algo exclusivo das ações. Na verdade, todas as aplicações financeiras contam com algum nível de risco, é algo natural do mercado.

Por isso, é importante ter o perfil certo para investir em ações e conhecer todos os riscos que a Bolsa de Valores oferece para poder se proteger e tirar o melhor do mercado.

Quer saber quais são os riscos de investir em ações? Então siga a leitura do artigo até o fim!

Quais são as vantagens de investir no mercado de ações?

Antes de falarmos sobre os riscos de investir na Bolsa, vamos conversar um pouco sobre as vantagens de comprar ações no mercado financeiro. Afinal, é importante entender que, no mundo dos investimentos, o risco e o retorno caminham de mãos dadas. Não dá para avaliar os riscos sem considerar os ganhos.

Confira abaixo alguns dos benefícios de investir em ações:

  • alta rentabilidade potencial (Ibovespa subiu 31,58% em 2019);
  • possibilidade de ser sócio das maiores empresas do Brasil;
  • liquidez diária dos ativos;
  • possibilidade de renda recorrente via dividendos;
  • facilidade de investir;
  • custo baixo para começar a operar;
  • possibilidade de ganhos substanciais no curto, médio ou longo prazo.

Como começar a investir em ações?

Começar a investir não é difícil. Na verdade, basta ter uma conta em uma corretora de ações e algum dinheiro para dar as ordens de compra.

E, nesse caso, nem precisa ser muito dinheiro. No mercado fracionário, é possível comprar apenas 1 ação caso você queira. Isso significa que com R$50,00 ou R$60,00 você já pode se tornar sócio de uma grande empresa nacional.

O processo é bem simples:

  • abra uma conta na corretora de sua preferência;
  • estude todos os custos de corretagem;
  • estabeleça a sua estratégia de investimentos;
  • identifique as ações mais vantajosas para você;
  • transfira dinheiro para sua conta na corretora;
  • dê a ordem de compra das ações escolhidas.

Quais os riscos de investir em ações?

Agora que já entendemos como começar a investir em ações e suas vantagens, podemos finalmente falar dos riscos da Bolsa de Valores.

Abaixo, selecionamos os 4 principais riscos de investir em ações e como se proteger deles na sua estratégia financeira. Siga a leitura para aprender mais!

1. Desvalorização das ações

O primeiro risco é intrínseco ao funcionamento da Bolsa de Valores. A desvalorização dos papéis é um risco de investir em ações que simplesmente não dá para evitar.

O funcionamento básico é a volatilidade de oferta e demanda: quanto mais gente quer comprar um papel, mais ele se valoriza. Quanto mais gente quer vender, mais valor ele perde.

O que pode ser feito para se proteger da situação é realizar uma análise técnica cuidadosa, caso você opere no Swing Trade, para identificar quais são as ações com tendência de alta e quais são os papéis com tendência de baixa.

Caso você use a estratégia Buy’n’Hold (comprar uma ação e mantê-la por tempo indefinido), é importante fazer uma boa análise fundamentalista e entender se a empresa em questão tem uma governança sólida. Se tiver, é improvável que sua ação se desvalorize no longo prazo. 

2. Risco sistêmico

Um dos principais riscos de investir em ações não tem nada a ver com os papéis em si, mas sim com o comportamento do mercado em relação a fatores externos. Nós podemos ver isso sempre que há algum evento de tensão geopolítica internacional.

Por que isso acontece? A explicação é simples: um evento desses aumenta o risco de quem opera no mercado de ações. Os investidores, então, querem se proteger buscando a opção mais segura possível.

Em uma escala global, a opção mais segura são os títulos públicos americanos. Portanto, há um movimento sistêmico de retirada de dinheiro das Bolsas de Valores e compra de títulos do governo dos EUA.

É muito difícil se proteger do risco sistêmico do mercado financeiro. Existem estratégias que ajudam, como investir em fundos quantitativos, que tendem a ter desempenho descolado do padrão da Bolsa.

Além disso, diversificar a carteira de investimentos também é uma boa opção para criar uma solidez maior na sua estratégia e se proteger de eventos externos.

3. Risco de liquidez

Uma das vantagens de investir em ações é a alta liquidez dos papéis. Por isso, é possível usar ferramentas como o Stop Loss ou Stop Gain para controlar sua estratégia. Eles são gatilhos montados que disparam ordens de venda caso um papel perca valor (Stop Loss) ou chegue ao seu pico de valorização (Stop Gain).

Cada investidor estabelece seu próprio Stop Loss e Stop Gain com base em sua projeção no Swing Trade. No entanto, a estratégia só funciona se houver liquidez para poder vender as ações na hora certa.

Quando compramos papéis blue chips (de empresas enormes e sólidas), isso não costuma ser um problema, pois o volume de negociação diária dessas ações é enorme.

No entanto, quando investimos em empresas menores, as chamadas small caps, há o risco de liquidez. Nesse caso, podemos ficar presos em uma posição sem conseguir vender as ações que estão em desvalorização, pois não há demanda por elas.

Por isso, é essencial analisar o volume de negociações de um determinado papel para não ficar preso em uma posição sem conseguir liquidar as ações.

4. Risco da empresa

Quando compramos papéis de uma empresa, estamos nos tornando sócios dela ao lado de milhares de outras pessoas. Por isso, quando os negócios vão bem, as ações se valorizam e recebemos mais dividendos.

No entanto, quando os negócios vão mal, os papéis perdem valor, pois os investidores tendem a minimizar seus prejuízos, liquidando suas posições.

Esse é um risco de investir em ações: aplicar em uma empresa que não tem uma boa gestão e pode apresentar resultados negativos.

Para se proteger desse risco, é importante fazer uma boa análise fundamentalista e estudar os documentos financeiros da empresa, como o Ebitda, índices de endividamento e rentabilidade, demonstrativos financeiros e balanço patrimonial.

De posse desses documentos (que devem ser públicos se a empresa está na Bolsa de Valores), fica mais fácil entender qual é o risco real daquele negócio ter um resultado ruim ou não.

Como deu para ver, os principais riscos de investir em ações assustam, mas é possível se proteger deles com estratégia e conhecimento. Por isso, é importante ter o auxílio de quem entende do mercado e sabe como fazer análises completas e confiáveis, de modo a criar camadas de segurança.

Esse é o caso do Leo Dutra, analista de valores com mais de 9 anos de experiência no mercado de capitais (sendo 7 deles como traders em salas ao vivo, onde não há margem para erro). 

Se você quer aproveitar os benefícios da Bolsa de Valores e minimizar os riscos de investir em ações, precisa do apoio oferecido pelo nosso pacote de assinatura.

Ficou interessado e quer se proteger dos riscos da Bolsa? Então entre em contato com a gente agora mesmo e saiba como podemos ajudá-lo!

Posts relacionados

Deixe um comentário