o que são fundos de investimentos imobiliários o que são fundos de investimentos imobiliários

Entenda o que são fundos de investimentos imobiliários e suas vantagens

6 minutos para ler

Você sabe o que são fundos de investimentos imobiliários? Com os frequentes cortes nas taxas de juros, muitos investimentos de renda variável passaram a ser menos atrativos. Consequentemente, várias pessoas começaram a migrar as suas aplicações para outras modalidades mais rentáveis.

Isso explica o número crescente de pessoas que entram na Bolsa de Valores procurando por ativos mais atrativos no mercado. Porém, algumas ainda têm muitas dúvidas quanto aos riscos de aplicações na renda variável, recorrendo aos fundos de investimentos.

Neste artigo, mostraremos com detalhes o que são e as suas vantagens. Confira e saiba mais sobre essa modalidade.

O que são fundos de investimentos imobiliários (FIIs)?

O fundo imobiliário pode ser mais bem entendido se você pensar em um condomínio de investidores. Essas pessoas reúnem o seu capital e compõem um patrimônio que será aplicado na construção ou na aquisição de imóveis que podem ser locados ou arrendados.

Em outras palavras, ao investir em FIIs, você participa de uma aplicação voltada, em sua maior parte, a extrair lucros do mercado imobiliário. À medida que os imóveis adquiridos ou construídos começam a gerar receita, os investidores passam a receber um valor correspondente ao seu percentual de participação no patrimônio do fundo.

Quais as principais vantagens desses ativos?

Os fundos de investimentos imobiliários proporcionam algumas vantagens interessantes para o investidor. Veja quais são elas a seguir!

Renda recorrente

Uma das vantagens mais interessantes e o motivo que faz as pessoas procurarem esse tipo de investimento é a possibilidade de obter renda recorrente e passiva. Uma das formas de rentabilização do fundo é o recebimento de aluguéis de imóveis que pertencem a ele.

Por exemplo, é possível que o dinheiro do patrimônio do fundo seja utilizado para construir shoppings ou complexos de moradia. Assim, à medida que as empresas ou pessoas físicas pagam o aluguel desses imóveis, o dinheiro entra no fundo e é distribuído entre os cotistas de acordo com a participação de cada um.

Obviamente, nesse processo, existe a dedução de algumas taxas, do Imposto de Renda e de outras cobranças comuns nesse tipo de aplicação.

Gestão profissional

Outro ponto importante é a gestão profissional que existe nos FIIs. O capital aplicado pelos investidores é gerenciado por um ou mais profissionais experientes no mercado financeiro. Isso significa que você não precisa se preocupar com nuances ou detalhes específicos do meio imobiliário para fazer esse investimento.

Essa gestão profissional tem um custo, que é chamado de taxa de administração e que pode variar bastante de acordo com cada instituição que fornece esse tipo de ativo.

Rentabilidade e segurança

Por fim, os fundos de investimentos imobiliários costumam ter uma boa performance em termos de rentabilidade. Muitos, inclusive, conseguem superar consideravelmente o retorno financeiro gerado pela poupança ou por outros ativos de renda fixa.

Outro ponto importante a ser destacado é a questão da segurança. Mesmo que os FIIs sejam considerados investimentos de renda variável, os riscos deles podem ser classificados como moderados. Porém, isso não significa que eles não existem e, por essa razão, dedicaremos um tópico exclusivo para tratar do assunto. Continue lendo!

Quais são os riscos dos fundos de investimentos imobiliários?

Inicialmente, é importante saber que os fundos de investimento devem ser regulados pela Comissão de Valores Mobiliários e pela própria Bolsa de Valores — quando são negociados no pregão. Logo, isso mostra que estamos tratando de um ativo regulamentado por órgãos competentes e, portanto, totalmente confiáveis.

Ou seja, se o fundo tiver as suas devidas regulamentações, você pode ficar tranquilo, pois não correrá o risco de aplicar o seu dinheiro em uma operação fraudulenta. Acredite: existe muito disso por aí. Em termos de riscos financeiros, podemos afirmar que existem quatro tipos diferentes, que são:

  • risco de mercado, que pressupõe a possibilidade de desvalorização dos próprios ativos do setor imobiliário;
  • risco de liquidez, que é relacionado à quantidade de participantes no mercado de FIIs, o que pode dificultar a entrada ou a saída em uma operação nesse ativo;
  • risco de vacância, ou seja, a possibilidade de um imóvel construído ou adquirido não ser alugado ou vendido;
  • risco de inadimplência, que representa as chances de um locatário não cumprir com o pagamento dos aluguéis.

Conhecer os riscos de uma aplicação, como os fundos de investimentos imobiliários, é um passo essencial na escolha do ativo. Porém, um detalhe é muito importante e deve ficar fixo em sua mente: o fato de existirem riscos não torna um investimento melhor ou pior que o outro. Nesse sentido, o papel do investidor é saber medir esse ponto com as possibilidades de ganho que podem ser conquistadas com determinado tipo de aplicação.

Investimentos de alta rentabilidade também terão um risco compatível com o seu potencial de geração de lucros. Para proteger o seu patrimônio, portanto, é essencial que você saiba diversificar as suas aplicações de modo a fracionar os seus riscos e ter a possibilidade de experimentar diversos tipos de rentabilidade diferentes.

Qual é o melhor momento para entrar em FIIs?

Podemos afirmar que os momentos perfeitos para adquirir fundos imobiliários são aqueles períodos em que o país está em franco aumento de suas estruturas físicas de um modo geral. Isso acontece em fases de crescimento e de desenvolvimento econômico. Porém, não significa que não existam outros também muito interessantes para entrar nessa modalidade de investimentos.

Afinal, mesmo em períodos de recessões econômicas — como aconteceu durante o ano de 2016 com o processo de impeachment da presidente do Brasil e em 2020 com a pandemia do novo coronavírus —, ainda existem empreendimentos imobiliários que precisam sair do papel e que necessitam de recursos oriundos de fundos de investimentos imobiliários.

Nesse sentido, o momento certo para entrar em FIIs é aquele em que você se sente preparado para fazer os aportes financeiros e suportar os eventuais riscos que podem existir na aplicação. Afinal, essa modalidade de investimentos — assim como qualquer outra — depende de uma profunda análise dos seus objetivos financeiros de curto, médio e longo prazo, bem como do seu perfil de investidor.

Agora que você sabe o que são fundos de investimentos imobiliários, não perca mais tempo e comece a se planejar para entrar em um. Entretanto, vale a pena ressaltar que é imprescindível analisar com cautela cada detalhe dessa modalidade de investimentos para saber se ela realmente se encaixa no seu perfil.

Gostou deste artigo? Se quiser ficar por dentro de todas as novidades do nosso site, assine a nossa newsletter e fique de olho na sua caixa de entrada. 

Posts relacionados

Deixe um comentário