Quer saber como funciona a compra e venda de opções? Veja aqui!

7 minutos para ler

Você sabe como funciona a compra e venda de opções? Depois de o Governo Federal ter cortado brutalmente a taxa de juros dos investimentos de renda fixa, muitas pessoas começaram a abrir os olhos para outras modalidades de aplicações — algumas delas, inclusive, desconhecidas por alguns que tinham esses investimentos na época da abundância.

Entretanto, atualmente, é improvável que alguém consiga acumular um bom patrimônio investindo nesse tipo de título. Assim, surge a figura das opções como uma excelente oportunidade para o investidor.

Neste artigo, mostraremos como funciona o processo de compra e venda desses títulos para que você possa começar seus investimentos. Acompanhe!

O que são opções?

Opções são um tipo de contrato negociado diretamente por um período de tempo. Nesses contratos, o investidor vende um lote de ações por determinado valor fixado, strike (valor que a ação será negociada no contrato de opções) ou preço de exercício. Para entender melhor como elas funcionam, podemos citar como exemplo o seguro de um carro.

Ao fechar esse tipo de serviço, você tem o direito de vender o carro por um valor determinado, mesmo que ocorra um imprevisto que o desvalorize. Nesse sentido, as opções acabam se tornando ótimos instrumentos de defesa para fazer o que chamamos de Hedge em suas aplicações, ou seja, cobertura e proteção contra grandes variações de preços.

O mercado de opções é um ambiente em que são negociados os direitos de compra ou venda de ações com seus respectivos valores e prazos prefixados. Entretanto, não é comercializada a sua obrigação, apenas o direito.

Quem compra opções é considerado como o titular, e quem faz a venda, o lançador. Entretanto, o que é negociado não é o papel, propriamente dito, mas sim o prêmio, ou seja, o direito de compra ou venda deste mesmo ativo.

Como funciona a compra e venda de opções?

Para que você possa entender melhor o conceito de opções, demonstraremos um exemplo simples. Suponhamos que você fez a compra de uma casa no valor de R$ 200.000,00, acreditando em sua valorização. Outra pessoa também acredita que o imóvel subirá de valor, no entanto, não tem dinheiro suficiente para adquiri-lo.

Assim, ela faz um acordo de opção de compra em que deposita R$ 20.000,00 — que é o prêmio que mencionamos — como forma de sinal para ter o direito de compra da casa pelo valor de R$ 230.000,00 em um prazo de 12 meses. Ela toma essa atitude acreditando que o valor do imóvel chegará a R$ 300.000,00 após o período.

Percorrido esse tempo, ela faz a venda pelo valor estimado e compra a casa comercializada por você pelo valor definido. Consequentemente, tem um lucro de R$ 50.000,00 com um custo de apenas R$ 20.000,00 que foi o valor que pagou para ter direito à compra.

Compra e venda de Call

A compra de Call dá direito, ao investidor, de adquirir o ativo pelo strike determinado. Assim, ele exercerá seu direito de compra somente se o ativo estiver com um preço acima desse. Caso isso não ocorra, é mais vantajoso adquiri-lo a preço de mercado.

Esse tipo de compra tem objetivos especulativos quando a tendência do mercado é de alta, porém, o investidor não teria o desejo de comprar o ativo com o objetivo de proteger seus investimentos contra variações de preços muito bruscas.

No caso da venda, o investidor é obrigado a vender o ativo no preço determinado, caso o valor esteja superior ao do exercício no momento de seu vencimento. Em casos de o ativo ter um montante abaixo desse preço, o Call terá valor 0.

Compra e venda de Put

Agora, vamos discorrer sobre a compra de Put. No caso da venda, o processo é bem parecido com a venda de Call. Haverá a compra do ativo pelo valor de strike e a decisão pelo exercício (ou não) do seu direito de venda se o valor estiver abaixo do strike. Caso isso não ocorra, é mais interessante vender ao mercado.

No caso da venda, o investidor tem a obrigação de pagar o preço determinado caso ele esteja em um valor inferior ao do exercício quando se der o seu vencimento. Assim, a perda financeira será o resultado da diferença entre o preço do exercício e o do final do ativo, já descontado o montante recebido no prêmio pela venda.

O ganho total desse tipo de operação será o equivalente ao prêmio recebido e ocorre quando o ativo adquirido estiver em um preço superior ao do exercício quando ocorrer o vencimento. Nesse momento, o preço da Put estará zerado. É uma forma de remunerar uma carteira em movimentos de alta do mercado.

Como é determinado o valor das opções no mercado?

O preço das opções no mercado é definido pela divisão de duas partes. O valor intrínseco, que leva a cotação atual da ação até o preço total da opção, e o extrínseco, que representa os fatores independentes do preço do papel que está associado a determinada opção, por exemplo, a valorização potencial de uma opção, as expectativas dos investidores, entre outros.

No caso de a ação ter um valor menor que o preço da opção, a parte intrínseca será considerada como zero. Nesse caso, o valor da opção será composto apenas do montante no tempo, bem como da expectativa de valorização de uma ação. As opções que não têm valor intrínseco são denominadas de Out The Money ou, simplesmente, OTM. As que são negociadas pelo preço-alvo das opções são denominadas de At The Money (ATM).

Veja, neste exemplo, como cada uma delas é precificada:

  • valor da ação: R$ 100,00;
  • preço-alvo da opção: R$ 102,00;
  • prêmio (valor da opção) R$ 1,20;
  • valor intrínseco: R$ 0,00;
  • valor extrínseco: R$ 1,20.

Quais são as vantagens e desvantagens das opções?

A vantagem número um de investir em opções está no fato de poder alavancar as operações e ter ganhos maiores. Entretanto, é importante levar em consideração que o mesmo fato pode ocorrer com as perdas quando você trabalha alavancado, podendo essa ser considerada a principal desvantagem.

Outro ponto positivo é o conceito de Hedge, que já mencionamos neste artigo. Com as opções, é possível proteger o seu patrimônio quanto a grandes variações de preços do mercado e, assim, reduzir seus riscos.

Qual a importância de conhecer o seu perfil?

Por fim, é fundamental que você conheça bem o seu perfil de investidor. Isso evitará que entre em uma operação com riscos maiores que os suportados. Pessoas que não se importam com esse elemento podem ter o seu psicológico afetado com possíveis perdas e fechar a mente para esse tipo de investimento, que pode ser tão lucrativo e vantajoso.

Seguindo essas orientações, você conseguirá fazer bons processos de compra e venda de opções, evitando possíveis perdas e potencializando seus ganhos a níveis consideravelmente superiores que investimentos de renda fixa.

Gostou dessas orientações? Se você quiser saber mais sobre esse tipo de aplicação, entre em contato conosco. Assim, mostraremos melhor como o mercado funciona.

Posts relacionados

Deixe um comentário