Como funciona: o mercado de opções é um bom investimento? Entenda aqui!

6 minutos para ler

Você sabe como funciona o mercado de opções? Basicamente, estamos diante de um tipo de investimento que proporciona uma série de oportunidades para o investidor, principalmente para quem deseja fugir um pouco das oscilações do mercado, que, em muitos casos, são ocasionadas por grandes players.

Entretanto, assim como qualquer investimento de renda variável, para operar com opções, é necessário ter certo conhecimento prévio do assunto, planejamento e preparo mental. Para ajudar você na parte do conhecimento, nós resolvemos escrever este artigo.

Nele, mostraremos tudo o que você precisa saber sobre o mercado de opções. Então, acompanhe-nos atentamente em uma breve leitura!

O que é o mercado de opções?

Opções, basicamente, são contratos em que é negociado o direito por determinado período para comprar ou vender ações a um preço fixado que é chamado de strike da opção. Funciona basicamente como um seguro que você faz para o seu carro. Ao contratar esse serviço, você adquire o direito de se desfazer desse bem por um valor predeterminado, independentemente de haver um imprevisto que venha a desvalorizá-lo.

Opções, portanto, se tornam uma excelente ferramenta de defesa para fazer Hedge em investimentos. Entretanto, nelas, também é possível utilizar a alavancagem. Apesar de algumas pessoas ficarem assustadas com a aparente complexidade desse mercado que pode conter operações futuras, a termo ou de opções, ainda é possível entendê-lo de forma simples e eficaz. Para tanto, explicaremos o seu funcionamento no próximo tópico.

Como funciona o mercado de opções?

Imagine a seguinte situação: Pedro, que é o lançador, adquiriu uma casa no valor de R$ 200.000,00 acreditando que ela valorizará no futuro, e Ana também é titular desse mesmo imóvel.

Entretanto, como ela não tem recursos suficientes para adquirir uma casa ao lado da de Pedro para lucrar com sua valorização, eles fazem um acordo de opções de compra da seguinte forma: Ana entrega a Pedro o montante de R$ 20.000,00 como sinal para ter direito à compra do imóvel por R$ 230.000,00 após um ano.

Ela realiza essa transação acreditando que, após esse período, o bem pode chegar ao valor de R$ 300.000,00.

Considerando um cenário em que ela pensou em concretizar o lucro em 12 meses, será possível desembolsar o valor de R$ 230.000,00 para adquirir a casa. Dessa forma, ela teria pagado o total de R$ 250.000,00, adicionando o valor do sinal que já foi entregue.

Diante disso, temos os seguintes fatos: Ana vendeu o imóvel por R$ 300.000,00, porém, a um custo efetivo de R$ 20.000,00, que foi o valor, de fato, que ela investiu na compra, entretanto, o valor da casa era de R$ 230.000,00. Logo, seu lucro foi de R$ 50.000,00, ou seja, um total de 150% de rentabilidade. Excelente, não é verdade?

Porém, vamos avaliar por outro ângulo: suponhamos que Ana errou em sua projeção, e o imóvel desvalorizou para R$ 180.000,00. Nesse caso, ela não exerceria seu direito de compra e perderia apenas o montante de R$ 20.000,00 dado como sinal na transação.

Trazendo para uma operação real, imagine, agora, que as ações ordinárias da Petrobrás, por exemplo, estão sendo cotadas por um valor hipotético de R$ 20,00, e você deseja adquirir um lote, entretanto, não tem dinheiro suficiente para tanto.

Porém, você acredita que, em um prazo de dois meses, o papel terá uma grande valorização. É justamente nesse ponto que entram as opções. Suponhamos que você adquira o direito de exercer a compra no valor mencionado por apenas R$ 2,00. Chegando ao final dos dois meses, podemos observar 3 cenários.

Primeiro, o papel pode subir e atingir o montante de R$ 25,00. Assim, você terá o direito de comprá-los a R$ 20,00, afinal, essa é a cotação do dia em que você adquiriu o direito de comprar os papéis. Nesse caso, terá um lucro de R$ 3,00 por ação, tendo em vista que é necessário descontar R$ 2,00, valor que foi utilizado para adquirir as opções.

O segundo cenário se dá no caso de o papel ter alcançado a cotação de R$ 22,00 após o período de dois meses. Assim, você deverá exercer o direito à compra e, portanto, sairá sem prejuízo.

Na terceira hipótese, se ação tivesse chegado a R$ 16,00, fazer jus ao direito de comprar não faria o menor sentido, concorda? Nesse caso, o investidor terá um prejuízo de R$ 2,00 por ação, ou seja, o montante que já havia gasto com a compra das opções.

Quais são suas vantagens e desvantagens?

O mercado de opções, de fato, é extremamente atrativo e vantajoso. Por isso, resolvemos escrever este tópico para falar dos principais pontos benéficos que um investidor pode obter nessa modalidade de investimentos. São eles:

  • possibilidade de ganhos em um curto espaço de tempo;
  • proteção para outros tipos de investimentos de que você disponha;
  • ganhos mais seguros;
  • valor de operações inferior, se comparado a outras opções de investimento;
  • possibilidade de diversificação das estratégias de aplicação.

Entretanto, como você já deve saber, quando se fala em renda variável, não há como deixar de pontuar alguns pequenos problemas ou desvantagens que podem recair sobre o mercado de opções. As principais são:

  • complexidade do mercado, afinal, esse investimento depende de certo nível de conhecimento;
  • volatilidade alta, que, consequentemente, proporciona mais riscos às operações;
  • possibilidade de perder o total aplicado, caso, no prazo final, o investidor não faça jus ao direito de venda. Assim, todo o capital aplicado será perdido em favor de quem vendeu a ação;
  • risco de a liquidez do mercado estar baixa, ou seja, de você não encontrar investidores que queiram adquirir ou vender a opção desejada.

Por fim, também é importante ter em mente que, no investimento em renda variável, especialmente em opções, é necessário buscar estudos e especializações constantes no mercado. Além disso, também é interessante contar com o apoio de uma assessoria.

Esse tipo de serviço oferece dicas e orientações sobre as melhores opções de investimento no mercado financeiro, evitando que você cometa erros causados pela falta de conhecimentos ou expertise.

Agora que você já sabe como funciona o mercado de opções e as principais vantagens, bem como as desvantagens que ele pode proporcionar, não perca mais tempo. Veja se ele se enquadra com o seu perfil de investidor e comece suas aplicações o quanto antes — sempre com muita responsabilidade, disciplina e com base em informações sólidas.

Se você gostou dessas informações e quer saber um pouco mais sobre esse tipo de assunto, entre em contato conosco, pois teremos um imenso prazer em responder a todos os seus questionamentos.

Posts relacionados

Deixe um comentário